Fitweb > FitWeb > Notícias > Mitos e verdades sobre o tratamento do zumbido
04 / Set / 2015

Mitos e verdades sobre o tratamento do zumbido

mitos e verdades no tratamento do zumbido A redação do portal Deficiência Auditiva tem recebido inúmeros relatos de pessoas querendo informações sobre zumbido. Alguns deles perguntam sobre a eficácia de tratamentos pouco convencionais, na esperança desesperada de conseguir amenizar o desconforto que sentem. Tantas manifestações nos levaram a preparar o dossiê “Mitos e Verdades sobre o tratamento do zumbido“: um especial que trará, toda semana, uma nova informação sobre as causas, os fatores de risco, de que maneira o estilo de vida pode melhorar ou piorar o sintoma, quais os métodos alternativos que podem ajudar a aliviar o desconforto, entre outras.

As respostas foram cedidas pela otorrinolaringologista Jeanne Oiticica, chefe do grupo de pesquisa em Zumbido do HC-FMUSP e responsável pelo Ambulatório de Surdez Súbita do departamento de Otorrinolaringologia da FMUSP, que deixou um recado para quem passa por essa situação. Segundo ela, quem sofre de zumbido deve procurar, sempre, a ajuda do médico otorrinolaringologista e fugir de qualquer pessoa, médico ou não médico, que diga a você que zumbido não tem cura. “Este tipo de informação com certeza não contribuirá para o seu tratamento e a resolução do sintoma”, disse.

Nesta primeira publicação do dossiê, perguntamos à médica sobre algumas medidas adotadas pelas pessoas com zumbido: qual delas teria ou não fundamento. Vejam as respostas, a seguir:

Muitas pessoas, na esperança de minimizar o desconforto causado pelo zumbido, pingam óleo e outros produtos no ouvido afetado. Essa medida tem algum fundamento?

Nenhuma medida recomendada por alguém desabilitado ao tratamento do sintoma deve ser considerada! Procure seu médico e busque ajuda especializada para o sintoma.

Quais outros recursos as pessoas têm adotado na esperança de curar o zumbido e que podem ser chamados de mitos?

Mitos podem ser definidos como relatos ou crenças comuns sem fundamento científico. O maior de todos o mitos é a crença que zumbido é um mal sem cura. Isto deve ser enfaticamente abominado tendo em vista a diversidade de recursos terapêuticos disponíveis e que podem contribuir e muito para o alívio do sintoma. Muitos acreditam neste mito em especial pelo fato de até hoje não existir uma “pílula mágica” ou medicamento único que funcione para todos os casos. Alguns tratamentos funcionam para algumas pessoas e não para outras, a depender do tipo e da causa do zumbido. Por isso, a abordagem terapêutica difere muito e precisa ser customizada caso a caso, de acordo com os fatores desencadeantes presentes. É preciso primeiro encontrar as causas e depois corrigi-las uma a uma, até resolução eficiente do quadro clínico. Voltando à pergunta: minerais, coenzimas, extratos de ervas, raízes, gomas, folhas, flores, cascas, vitaminas, homeopatia são alguns dos mitos na cura do zumbido, quando considerada a definição acima. Ou seja, o simples fato de funcionar em alguns casos pode não ser diretamente pelo efeito do princípio ativo. Pode ser, por exemplo, uma simples coincidência temporal ou efeito placebo. Ou seja, estes compostos podem até funcionar para alguns pacientes ou em casos específicos, mas carecem de evidências científicas sistemáticas e robustas.

Tem dúvida ou quer deixar o seu depoimento? Envie-nos sua história para o e-mail da nossa Redação: redacao.deficienciaauditiva@gmail.com

 

O texto acima foi publicado no portal Deficiência Auditiva, um canal que pretende conscientizar a população sobre as diversas formas de prevenção da perda auditiva, preservação da audição e as distintas formas de reabilitação. A publicação ou compartilhamento do conteúdo é autorizado, desde que mencionada a fonte.